terça-feira, 8 de setembro de 2009

'Fonética e Fonologia' revisitada

Quando digo o seu nome, minha língua roça no céu da boca.
Suave e rapidamente desliza para os dentes.
Reverbera entre eles e repousa, finalmente.


Salivo.






Ai, meu palato! Só você sabe como dói esta brevidade...



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oi! Existem pessoas