domingo, 25 de outubro de 2009

Conto de uma noite fria

Planejou.
Na verdade, imaginou como seria.

E enquanto andava pela noite fria com o vestido ondulando ao sabor do vento, fechava um pouco mais o casaco e imaginava novamente. Era hoje. Seria hoje.

Continuou caminhando, mas diminuiu o ritmo dos passos, levantando os olhos para encontrar. Aqui e ali, algumas pessoas. Ninguém parecia percebê-la. Mudou a direção e atravessou a pista.
Viu o carro estacionado com a porta aberta. Havia ali um homem parado de pé ao lado, apoiado e olhando, procurava também.

Exitou, buscando em algum lugar um impedimento. Não havia. Era hoje. Seria hoje.

Passou ao lado do carro e o homem, como fazia habitualmente, olhou-a e convidou-lhe para um passeio. Usava óculos, estatura mediana, sorriso calculado. Ela, quebrando o seu habitual, aproximou-se dele, mudando novamente seu rumo.

"Vamos"

Rodeou o carro e abriu a porta do passageiro. O homem não teve reação. Não esperava aquilo. O ar frio o libertou do estupor. Entrou e ligou o carro.

Ambos nunca haviam feito aquilo. E nem fariam novamente.





Para ler ouvindo "Breaking the habit", Linkin Park
o.O ou você pode ver & ouvir aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oi! Existem pessoas