terça-feira, 25 de janeiro de 2011

O meu silêncio é gritante

O meu silêncio é gritante.

Pelo menos para mim. O meu silêncio é derrota, é ausência de argumentação, até mesmo porque nunca fui contemplativa. E ele é imposição. 

Talvez eu tenha me amordaçado e amarrado para evitar uma explosão. Me dopei. 

Letargia.

Tudo parece meio-dia, sob sol escaldante, Kalahari. Você anda, anda, anda. O seu pé afunda na areia. Não há nada além da sede. Só desesperança. Por pior que seja o sol, a única coisa possível será deitar e esperar.

Minha letargia é derrota, é ausência de Sara. Até mesmo porque nunca fui assim...

Uma vez cantaram para mim "É preciso um remédio que cure... ou Sara". Hoje não curo ninguém. Nem saro.

4 comentários:

  1. Se o silêncio te faz, então grite! Pelo menos é assim que eu penso.

    ResponderExcluir
  2. Sempre gritei, Leonardo. E cheguei num momento em que não há nada além da rouquidão. Preciso de água e retiro. :P

    ResponderExcluir
  3. O meu silêncio também é gritante, e corta toda a esfera do espaço-tempo do meu corpo.

    ResponderExcluir
  4. Um comentário tardio
    Para uma cura eficaz
    Se a Sara hj não cura
    Quem sabe Amanhã...

    Um abraço do passado !

    ResponderExcluir

Oi! Existem pessoas