sábado, 26 de setembro de 2015

Se se morre de tristeza

Quando se olha para dentro e só se encontra o nada. O medo. A dor e o desespero.
Quando isso acontece, parabéns, você atingiu o fim.
Daí só se sobe, certo?
Errado.
Quando se sabe bem cavar, cava-se fundo demais.
Tal como um astronauta cego pela ânsia da descoberta, empreendeu sua jornada subindo, subindo (cavando, cavando), sem preocupar-se se haveria combustível suficiente para retornar.
Pois bem, não havia.
Só lhe restou sentar nas pedras, apoiar o queixo nas mãos e pensar.
O pensamento é veneno. Mata aos pouquinhos, furando a pedra no gotejamento infinito da ideia... Que cava, cava, cava.

Eu sou, eu sou, eu sou dor da cabeça aos pés.
E só tô cantando essa dor porque não há mais nada a fazer com ela... Só deixar esvair e me esvair.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oi! Existem pessoas